restaurantes

Uau, que comida há no Nelita da Tássia Magalhães

No Baixo Pinheiros, é um dos melhores restaurantes de São Paulo

Robert Halfoun
Curador


A ideia do belo Nelita (em conceito, comida, decoração) nasceu dentro do charmoso, porém mais simples, Riso, o extinto restaurante de arrozes da craque Tássia Magalhães. Desde que saiu do saudoso Pomodori, referência de cozinha italiana, em São Paulo, onde ela despontou, Tássia andou meio quieta, até surgir com a grande ideia de levar para a sua fiel clientela, o que ela adora comer e faz direto na sua casa: arrozes. 


A chef-super-craque Tássia Magalhães e o arroz quase doce, couve-flor, gema e miso servido no imperdível menu degustação com 11 cursos


O resultado foi tão legal que as poucas mesas descontraídas da casa começaram a receber a tal clientela fiel que ia pagar caro, com vinhos idem, ao Pomodori. Essa turma queria algo mais acolhedor e também sentia saudades das massas inesquecíveis da cozinheira. Ela, por sua vez, começava a sentir aquela coceira em fazer algo mais sofisticado e mais autoral, me disse depois, muito focada nos produtores do Vale do Paraíba, de onde ela vem.


O agnolotti com queijo de cabra, molho de limão rosa confitado e favo de mel está desde a inauguração da casa, um jovem clássico do Nelita


Pronto, nasceu o Nelita, na rua mais badalada do Baixo Pinheiros, o novo (nem tão novo assim) pólo-gastronômico da nossa capital da gastronomia. A atmosfera daqui é uma delícia, arejada, com pé direito bem alto, mesinhas na entrada e, mais ao fundo, um balcão largo debruçado na cozinha aberta, onde fica a Tássia. De lá saem mesmo coisas muito autorais, com apresentação e combinações de sabores raros de ver. A chef está com as mãos afiadas. O DNA é o italiano moderno que ela tanto adora e que a gente quase não vê sendo feito por aqui. O sotaque da Bota está no prato, mas as influências de ingredientes e, especialmente, de técnicas de cozinhas vêm do mundo todo – especialmente da França.


O Nelita tem um astral moderno e elegante. Além das mesas do salão há um balcão debruçado na cozinha aberta, o palco de Tássia Magalhães



Pato com cebolas defumadas e molho demi-glace. Ele é um manjar para harmonizar com a rica e caprichada carta de vinhos do Nelita


Durante a minha refeição, o passeio pelos aromas e gostos foi dos mais agradáveis – e surpreendente. A cozinha da Tássia está muito acima da média. A melhor maneira de mergulhar nela é às terças-feiras, quando a chef faz o seu menu degustação, com 11 cursos inesquecíveis. Alta cozinha. Nos outros dias da semana, não há como deixar de comer os já clássicos no Nelita, como a terrine de foie gras com purê e brunoise de maçã verde e matcha e o agnolotti com queijo de cabra, molho de limão rosa confitado e favo de mel ou o pato com cebola defumada e molho demi-glace. Uau, que comida! Depois das sobremesas, sempre levíssimas, a refeição termina com café acompanhado dos petit fours que vêm do Meg Market, a pâtisserie da Tássia, em outro local. Eles fazem parte do serviço que, aliás, é impecável.


Nelita – Rua Ferreira Araújo, 330, Pinheiros, São Paulo – SP. Tel.: (11) 3798-9827. @nelita.restaurant